31 de agosto de 2007

Aviso & Respostas

Namaskar

O resultado da votação sobre o tratamento dentário de rua ficou assim:

1. Você teria coragem de se tratar com um “Tiradentes” indiano ?
Sim = Zero %
Não, prefiro higiene = 98%
Talvez pois sou pobre = 2%

O resultado da votação sobre o restaurante-cemiterio ficou assim:

2. Você comeria no restaurante-cemiterio?
Sim, eh divertido = 30%
Não, eh horrível = 70%

Elci: Não sei muito sobre os dias da semana em relação aos deuses indianos. Só sei que segunda-feira eh dia de Shiva e quinta-feira eh dia do Guru (naturalmente para aqueles que tem um Guru, ou seja, foram iniciados).

Vestir os deuses eh parte do ritual Elci, assim como preparar e dar comida para os deuses.
Sim, quando uma menina casa e fica viuva tem que ir para Veranasi. Assista o filme WATER que conta bem esta estória. 

Evelin: No geral a família do noivo NAO gosta nem um pouco que eles casem com estrangeiras. Só mesmo os apaixonados de verdade tem coragem de ir contra a própria família e casar com uma estrangeira; o que eh muito raro pois indianos sao covardes e muito obidientes em relacao aos pais.

Deborah Salles: Eu sempre falo a verdade no blog, só que as pessoas não querem acreditar, preferem viver de sonhos e ilusões; problema delas! Para elas a Índia eh um lugar paradisíaco hahahahaha me divirto muito :)

No inicio tinha pena de vê-las chegando aqui e se desesperando tanto que antecipam a passagem para ir embora o quanto antes. Já vi gente chorando, gente xingando, gente me telefonando e pedindo ajuda, só porque não quiseram acreditar no que leram no blog. Eu tinha pena e ajudava, mas agora não me importo mais. Nesta vida cada um tem o que merece! 

Marisa Mineira: Nossa Marisa, esta palavra “mineira” me enche de água na boca. Aqui não tem pão de queijo, torresmo etc. L Imagine só amiga, 8 anos sem comer pão de queijo!!! Eh triste, muito triste :(
Sim, aqui tem anticoncepcional SIM. Vasectomia gratuita, camisinha a preço menor do que de banana etc. Os indianos não usam porque não querem. Na verdade indianos gostam me eh de se reproduzirem.

Vigilância sanitária NAO tem aqui ainda não, se tivesse não seria essa sujeira e imundice que eh.
Conselho de Medicina TEM sim, de farmácia e odonto não sei, preciso pesquisar.


Lakshmi: A questão do dote não rola quando um indiano casa com uma estrangeira e por isso mesmo a família do noivo as odeiam.

Rose: Para homens mochileiros o perigo eh bem menor, quase inexistente, mas conheço 1 caso que o carioca foi fazer uma brincadeira justo com um muçulmano e ele não achou nada engraçado. Mas também foi falta de bom senso do rapaz. Aqui NAO se faz brincadeiras e muito menos com um islâmico!! PAGUE, AGRADECA E VA EMBORA, nada de querer virar “amiguinho” e muito menos fazer qualquer tipo de brincadeira. Os indianos se ofendem por tudo, sofrem de muita baixa auto-estima.

Tati e Claudia: No geral esperam a menina ter a primeira menstruação antes de fazerem sexo.

Pedro: Não resta duvida que Saradamani era uma pessoa iluminada, se você visse o quartinho onde ela morava!!!!!!!!!! Eu nem acreditei quando vi com meus próprios olhos, HORRIVEL!!!!!!!!!!!!! Pior que solitária de prisão.

André de Poa: Que bom que vc gostou da mini biografia do Ramakrishna, fico feliz em saber que valeu meu esforço J
Eu NAO permito comentários anônimos e deleto todos mesmo, mas este foi interessante e por isso resolvi responder, estou benevolente hoje rssss.

Anônima: Sim, após a invasão brasileira do Orkut, agora eh a vez da invasão indiana. O Orkut NAO eh brasileiro e não foi criado só para brasileiros, eh que por algum motivo que desconheço os brasileiros invadiram o orkut já logo no inicio. Agora são os indianos que estão invadindo e como eles são mais de 1 bilhão, vão ganhar fácil fácil dos brazucas hehehehehehe. Existe uma comunidade http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=24254833
Eu sou famoso na Índia
Que justamente trata sobre a invasão indiana no Orkut.
Sim, “eles são salientes e mal-educados e vão falando com todo mundo sem conhecer” como vc escreveu. Isso eh normal, visto que para a cultura indiana o conceito de “intrometer, curiosidade, falta de educação” não existem. Eles são extremamente curiosos e te perguntam tudo que lhes vem a cabeça, são muito indiscretos mas para eles isso eh normal, coisas da cultura indiana.

Belatrix: A Vera ficou em um hotel bom e por isso tinha opção de tomar banho de chuveiro ou de balde e caneca. Apesar de existirem chuveiros, a maioria dos indianos preferem tomar banho de balde pois o chuveiro ainda não eh algo popular. Os hotéis super chiques possuem 2 baldes, um grande para tomar banho e um pequeno para lavar o fiofó.

Sonia: Aqui na Índia só os filhos (homens) tem direito a herança do pai. O governo pensa em implementar uma lei que de direitos iguais também as meninas. Nem a esposa tem direitos quando o marido morre; fica tudo mesmo para os filhos. 

AVISO IMPORTANTE:
Preciso dar uma descansada pois desde fevereiro tenho escrito quase que diariamente. Assim sendo, vou dar uma parada e retorno dia 17 de Setembro.

Postagens de 2007
Janeiro
08 – Dança Indiana
Fevereiro
01 – Férias no Brasil
02 – Burquini
03 – Ramakrishna Ashram – São Paulo
03 – VIDEO: Hanuman
04 – Índia x EUA
05 – Sadhus
06 – Big Brother
11 – Bollywood
12 – Areia Sanitária
13 – Estação de Trem
14 – Bengalês (Bengali)
15 – Mumbai – Dicas de Turismo
16 – Feriados Indianos para 2007
17 – Peixes no necrotério - Bebê com 2 pênis
19 – 20 Milhões no Ganges
20 – Atentado no “trem da amizade” que liga Índia e Paquistão deixa 66 mortos
21 – Big Brother – Desfecho
22 – Ed na Índia
23 – Estupro - Macacos - Soruba em família
24 – Albergue Delhi
26 – Índia e Paquistão entram em acordo
27 – A Arte de Anish Kapoor
28 – Assoando peixes - Suicídio de pássaros
Março
01 – Roteiro – Rajastão
02 – Cinema Indiano em São Paulo
03 – Carma Cola
05 – Verônica em Mumbai
06 – Ratan Tata
07 – Aniversário do Tigu
08 – Dia Internacional da Mulher
09 – A trajetória de Vida da Mulher na Índia – Parte II
10 – Water & Coca Cola
12 – A trajetória de Vida da Mulher na Índia – Parte III
13 – A trajetória de Vida da Mulher na Índia – Parte IV
14 – Elizabeth Hurley casa com indiano
15 - A trajetória de Vida da Mulher na Índia – Parte Final
16 – Unhudo - Estupro - 80 mortos
19 – Shiva
20 – Selo - Cadáver na 1º classe
21 – Liz Aqui na Índia
22 - Respostas
23 – Zoroastrismo & Parses
24 - Técnico do Paquistão Assassinado
26 – Neem
27 – Ramayana
28 – Meio Século
29 – Mantras
30 – Censura - Estupro - Vestido leiloado
31 – Jainismo
Abril
02 – Comedora de pimenta - Bezerro carnívoro
03 – Um Indiano no Brasil
04 – Sikhismo
05 – Taxi da morte - Suicídios
06 – Chandigarth
07 – Suicídio – Uniforme perfumado
07 - Versinho
10 – Corredor para Elefante
11 – Dança Indiana
12 – Realeza e Cremação
13 – Stefânia Former
14 – Respostas
16 – 53% das crianças na Índia sofrem abusos sexuais
17 - Indianos querem matar Richard Gere
18 – Símbolos de Shiva e Significados
19 - Dos Vedas ao Kama Sutra
20 – Mr. Natwarlal
21 – Gays marcham – Mijo de vaca purifica
23 – Delhi é a melhor! – Casou com defunto
24 – Roteiro para o filme Water
25 – Show e Agulha
26 – Ayurveda
27 – Eunuco Sagrado
28 – Torre do Silêncio
30 – Fim de Semana
Maio
01 – Respostas
02 – Buda Purnima
03 – Elizabeth Hurley / Roubo de Vasilha
04 – Cinema Indiano
07 – Sobre trem e Menstruação
08 – Ganesha
09 – Educação Sexual e Links
10 – Ramakrishna & Pedofilia
11 – Casório & Big Mac
12 – Cinema Indiano – Parte II
13 – Dia das Mães
14 – Casamento & Festival Koovagam
15 – João na Caxemira
16 – Bharathanatyam (Dança Indiana)
17 – Liz Hurley & Dote Brasileiro
18 – Pai prende filho com correntes
19 – Respostas & Aviso
21 – Terrorismo Sikh – Serial Killer
22 – Cinema Indiano – Parte Final
23 – Autobiografia de Gandhi – Parte 1
24 – Autobiografia de Gandhi – Parte 2
25 – Autobiografia de Gandhi – Parte 3
26 - Autobiografia de Gandhi – Parte 4
28 - Autobiografia de Gandhi – Parte 5
29 - Autobiografia de Gandhi – Parte 6
30 - Autobiografia de Gandhi – Parte 7
31 – Respostas
Junho
01 - Autobiografia de Gandhi – Parte 8
02 - Autobiografia de Gandhi – Parte 9
04 - Autobiografia de Gandhi – Parte 10
05 - Autobiografia de Gandhi – Parte 11
06 - Autobiografia de Gandhi – Parte Final
07 – Boas Novidades sobre Gandhi
08 – Lula na Índia
09 – Economia Indiana
11 – Notícias sobre Gandhi
12 – Cavalos Humanos
13 – Zoroastrismo Não Parsi
14 – Livros Escritos por Gandhi
15 – Respostas
16 – Sábados sem Indiagestão
18 – Taj Mahal Amarelou
19 – Nim Indiano: Arvore da Vida
20 – Mylena Fiori - Depoimento
21 – Kalpana Chawla
22 – Islâmicos batem em estudantes
25 – Camisinha Vibradora
26 – O Segredo de Gandhi
27 – Muda ou Não Muda???
Julho
02 – Novo Layout
02 – Eeeeeeeeee Oooooooo Vida de Gado – Parte 1
03 – Respostas
04 – Comendo com os Mortos
05 – 7 Maravilhas
06 – Aluguel & Marcadores
07 – Bandeirinha...uau!
09 – Médicos Terroristas
09 – Eeeeee Oooooo vida de Gado – Parte 2
10 – Indianos são Preconceituosos
10 – Indianos Racistas?
10 – Creme Clareador
11 – Baha’i
11 – Templo de Lotus
12 – “Espiritualizada” Índia Mata Meninas
13 – Macacada
14 – Aniversario do Indiagestao!!
16 – Eeeeee Ooooo vida de gado – parte 3
16 – DESAFIO 2007
17 – Pergunta Extra
17 – Respostas & Desafio 2007
18 – Índia lançará camisinha com gosto de tabaco
18 – Paz e Luz no seu caminho
18 – VIDEO: Bilu dormindo
19 – Anjos e Estrelas
20 – Fim do desafio 2007
20 – VIDEO: Tratamento Ayurvedico
20 – VIDEO: Sal de Rocha Lahore
21 – Show
23 – Vencedores do desafio 2007
23 - Eeeeee Ooooo vida de gado – parte final
24 – Elefantes cobram pedágios de motoristas na Índia
25 – Babaji & Amma
26 – Oh Xenti – Mulheres que gostaria de conhecer
26 – Liz em Bangalore
27 – VIDEO: Olhericure
27 – Limpador de Orelha
30 – Livro diz que burros são melhores que mulheres
30 – Transportadora Equilíbrio S/A
31 – Respostas & Avisos
Agosto
01 – Profissão: Enforcador
02 – Travestis Cobradores
03 – VIDEO: Rupia (Moeda Indiana)
05 – Policia faz ladrão comer bananas
05 - Transportadora Equilíbrio S/A
06 – O colar, finalmente, foi expelido
07 – Radio Esotérica & Aborto Seletivo
08 – Milhares de ‘intocáveis’ se convertem na Índia
09 – Consumismo Indiano
10 – VIDEO: Jornal de Domingo
13 - Transportadora Equilíbrio S/A
14 – Querem Degolar Tasmila!!
15 – restaurante Brasileiro na Índia
16 – Respostas
17 – VIDEO: Mehendi – Partes 1 e 2
18 – Mehendi
21 – Respostas
22 – Ramakrishna – Parte 1
23 – Ramakrishna – Parte 2
23 - Transportadora Equilíbrio S/A
24 – Ramakrishna – Parte Final
25 – Bombas Matam 40 em Hyderabad
26 - 42 Mortos
27 - Comparacoes
28 – Vera em Puttaparthi
29 - VIDEO: Olimpiada Indiana - Partes 1 e 2
30 - VIDEO: Olimpiada Indiana - Partes 3 e 4
31 – Aviso & Respostas

Om Shanti


.

30 de agosto de 2007

Olimpiada Indiana - Parte 4

Namaskar

Olimpiada Indiana


Modalidade: CORRIDA COM 2 CAVALOS

Neste esporte o esportista tem que correr em pé encima de 2 cavalos simultaneamente.
No final, o jockey ainda tem que levantar 1 dos bracos!!! Este eh so pra macho mesmo!

Incredible India!

Om Shanti

Olimpiada Indiana - Parte 3

Namaskar

Olimpiada Indiana


Modalidade: LOMBADA DE TRATOR


Este esporte exige que o esportista sirva de "lombada" para que um trator passe por cima dele.


Incredible India!

Om Shanti

29 de agosto de 2007

Olimpiada Indiana - Parte 2

Namaste

Olimpiada Indiana

Modalidade: LEVANTAMENTO DE PEDRA

Este esporte consiste em levantar uma grande e pesada pedra ovalada ate a altura do ombro.

Incredible India!

Om Shanti

Olimpiada Indiana - Parte 1

Namaskar

Olimpiada Indiana

Modalidade: LUTA DO CARANGUEJO

Nesta luta os competidores devem ficar agachados para trás e só podem usar as pernas para chutar e derrubar o adversário.

Incredible India!

Om Shanti

28 de agosto de 2007

Vera em Puttaparthi - Parte 1



Namaste

Hoje temos o relato da Vera que gentilmente atendeu minha solicitação e esta compartilhando conosco sua experiência aqui na Índia. Ela NAO veio fazer turismo “mochilao” e conhecer 10 cidades diferentes em 15 dias. Seu objetivo foi visitar exclusivamente Puttaparthi, onde fica o ashram de Sai Baba.

Leia seu relato abaixo:

A viagem de avião se deu de maneira tranqüila.

Quando embarcamos em Paris para Bangalore já comecei a sentir um friozinho na barriga, pois nossa próxima parada seria realmente a Índia!

Ao chegarmos, eu achei o aeroporto muito interessante. Na verdade parecia uma rodoviária melhorada. Muitos avisos escritos de maneira meio tosca, em papel e colados na parede.

O velhinho do Raio-X olhando as malas meio que desinteressadamente.

Nossa chegada aconteceu no dia 22/07 às 00:30. Dali fomos para um hotel para seguir viagem para Puttaparthi somente na manhã do dia 22.

O hotel era muito bonito, bem padrão Ocidental. O detalhe que mais chamou atenção foi me deparar com um balde e uma caneca de plástico dentro do box. Indianos tomam banho de balde? A caneca é para limpar a mão após fazer o número 2? (Sim Vera, indianos tomam banho de balde e a caneca eh para usar no banho assim como para lavar o anus apos fazer o numero 2).

Bem, na tarde do dia 22 (pq o motorista só chegou à tarde) fomos a Puttaparthi.

Essa história do táxi marcar de vir pela manhã e só chegar à tarde na verdade merece uma explicação.

Já havíamos deixado reservado o táxi antes de sairmos do Brasil. O motorista ficaria nos esperando no aeroporto com nossos nomes numa plaquinha. Ele nos levaria ao hotel em Bangalore e, na manhã seguinte, nos levaria à Puttaparthi. Tudo isso pela quantia módica de 1400 Rupias.

Bem, ao pegarmos nossas malas no aeroporto em Bangalore, fomos procurar o motorista e nada de encontrá-lo! Não havia ninguém no aeroporto segurando plaquinhas com nossos nomes!

Bem, resolvemos pegar um táxi do aeroporto mesmo e irmos para o hotel, torcendo para que no dia seguinte o motorista se lembrasse de nos pegar e fazer o resto da viagem.

Ao sairmos do aeroporto, já com um táxi arrumado, vimos que na calçada havia várias pessoas segurando plaquinhas com nomes, etc. Ou seja, nosso motorista deveria estar ali, na calçada do aeroporto, do lado de fora, nos esperando! Nesse momento já havíamos até pagado nosso novo táxi e ficamos muito desconcertados, mas resolvemos ir pro hotel mesmo assim. Conclusão, o motorista achou que a gente não tivesse chegado, voltou para Puttaparthi sozinho e nós tivemos que arrumar outro táxi na manhã seguinte.

Este novo táxi nos custou a fortuna de 4300 Rupias! Até argumentamos que estava caro, mas o gerente do hotel disse que os táxis estavam em falta por causa de uma convenção, bla, bla, e só tinha esse mesmo, que nos pegaria só à tarde!

Bem, o motorista chegou, nos ajeitamos no carro e rumamos para Puttaparthi. O motorista se chamava Kumar e era muito simpático. Contou sobre o novo aeroporto de Bangalore que ficará pronto em 6 meses, falou sobre o idioma do local, de como os carros de um estado tem que fazer quando entram em outro estado (tipo pagar um pedágio para usar a estrada do estado, segundo eu entendi). No caminho vimos muitas obras em estradas, pessoas arrancando árvores, e reparei que os trabalhadores não usam nenhuma roupa especial, sapatos, luvas, etc para meter a mão na massa.

Todos vestiam doti ou sári, e calçavam sandálias de dedos. Alguns estavam descalços.

Dava a impressão de ser um trabalho bem toscão e não o reparo de uma estrada, ou a sua duplicação. Como aqui no Brasil estou acostumada a ver o pessoal todo uniformizado, de capacete, estrada sinalizando obras, etc, achei bem diferente essa abordagem indiana.

Até as mulheres trabalhavam com seus sáris, carregando fardos imensos de gravetos.....até crianças estavam trabalhando. Comentei com o Kumar que, apesar de ser domingo, havia muitas pessoas trabalhando. Ele disse que essas pessoas não tinham trabalho regular e que trabalhavam o dia que fosse necessário e que como a remuneração aos domingos era maior que nos dias da semana, elas encaravam o serviço pesado numa boa.

Bem, continuando a viagem, reparamos que todos os carros, ônibus, caminhões, motocicletas, bicicletas, etc, buzinam o tempo todo. A Sandra já havia falado sobre isso, mas é algo muito peculiar....Por quê se buzina tanto? E não buzinam como aqui no Brasil, pra xingar, reclamar (pelo menos eu não vi), buzinam pq gostam. Nosso carro passava do lado de um caminhão e buzinava. Imediatamente o caminhão buzinava de volta. Nós ríamos muito disso e nosso motorista achava graça do nosso espanto e ria também.

Outra coisa muito estranha que aconteceu: Kumar, o motorista, a uma certa altura da viagem, resolve parar para almoçar! Disse que tinha saído muito cedo de casa, sem tomar café, e que até aquela hora, umas 3 da tarde, mais ou menos, ainda não tinha comido nada.

Parou num lugar que parecia uma lanchonete e foi almoçar. Disse que não ia demorar e perguntou se a gente queria comer alguma coisa.

Obviamente que não queríamos comer nada ali, pois o local não inspirava muita higiene.

Tiramos algumas fotos lá de dentro do carro mesmo e depois de uns 15 minutinhos retorna o Kumar e continuamos a viagem. (Eh normal parar para comer. Os motoristas islâmicos também param para rezar em determinados horários).

Nessa breve paradinha eu reparei como existem cachorros abandonados na Índia! Muitos! E o mais engraçado é que existe uma “raça” bem comum, um tipo com pelo meio amarelado, magrelo. Eu vi esse tipo de cachorro aos montes......

Finalmente chegamos em Puttaparthi. Encontramos nosso hotel e nos instalamos.

O hotel era muito modesto, mas para o local o padrão era alto nível.

Realmente o hotel era bem espaçoso. Nosso quarto era enorme! Tinha até uma pseudo-cozinha.

Tinha também ar condicionado, ventilador de teto, frigobar. Pelo que pude perceber, era um luxo.

As pessoas do hotel eram muito simpáticas e nos receberam muito bem. Até demais.

Entraram umas cinco pessoas para nos mostrar o quarto. Cada uma queria mostrar uma coisa, uma senhora ficava alisando a cama, outro mostrava o banheiro, outro o frigobar.

Daniel (meu marido) ficou tão espantando com essa recepção e com o tamanho do quarto que achou que já tinha uma família dormindo ali e que teríamos que dividir o quarto com eles. Ele quase teve um ataque, pois o motivo de ficarmos num hotel e não no ashram de Sai Baba foi justamente por não querer dividir quarto com estranhos. Apelidamos essa galera toda de bell-people.

Nos instalamos no quarto, forramos a cama com nosso próprio lençol, verificamos o banheiro e, mais uma vez, demos de cara com um baldão, um baldinho e uma caneca no banheiro.

Reparamos também que neste banheiro havia algo parecido com uma torneira no local onde abríamos a água do chuveiro. No final das contas essa torneira e esse balde foram úteis. Utilizamos para lavar algumas roupas.

Fotos: Balde no banheiro, que eh usado para tomar banho, mas Vera usou para lavar roupa.

Vista frontal do local onde o motorista Kumar parou para almocar.

Aguarde continuacao...

27 de agosto de 2007

Comparações

Namaskar

Infelizmente o final de semana aqui na Índia, assim como na Grécia não foi fácil.

Enquanto a Grécia pegava fogo, a Índia explodia com 2 bombas terroristas na cidade de Hyderabad.

A Índia eh o segundo pais do mundo onde ocorre o maior numero de mortes por atentados terroristas, ou seja, a Índia só perde mesmo para o Iraque!

A Índia também esta em segundo lugar segundo o numero de atentados assim como numero de pessoas feridas.

A estatística segundo o jornal The Times of India eh a seguinte:

Iraque

Índia

Afguenistao

Colômbia

Tailândia

Rússia

Paquistão

Chad

Nepal

Sudão

Ao vir para a Índia fazer turismo, não se esqueça de fazer seguro de vida e seguro de viagem. Rezar novena, fazer despacho de macumba, meditar por 24 horas e tudo o mais que possa te proteger.

Eu já escapei de 2 atentados por exatamente 24 horas de diferença, o dia que meu timing falhar...

*****

E já que coloquei uma estatística, aqui vão mais algumas.

Compare a Índia de 1947 no ano de sua independência e agora em 2007:

Preço de carro (automóvel) em 1947 = 300 – 400 rupias

2007 = 200 mil – 1 milhão de rupias

Expectativa de vida em 1947 = 31 anos

2007 = 64 anos

Alfabetização em 1947 = 14% da população

2007 = 67% da população

Preço de 10 gramas de ouro em 1947 = 88 rupias

2007 = 9000 rupias

Filme de maior sucesso em 1947 = Jugnu

2007 = Dhoom-2

Renda per capta em 1947 = 255 rupias

2007 = 30.000 rupias

População em 1947 = 300 milhões

2007 = 1 bilhão e 14 milhões

Analise as estatísticas e tire suas próprias conclusões.

Incredible India!

Om Shanti

26 de agosto de 2007

42 Mortos




Aqui na India eh assim, voce sai pra comer um lanche ou vai assistir um show e morre por causa de bombas terroristas. Se nao morre, fica machucado, perde braco, mao, perna, pe, olho, enfim, volta pra casa faltando pedaco!!!!

Esta eh a India, um pais pobre, sujo e acima de tudo, violento e terrorista.

Tem certeza que seu sonho de consumo eh vir pra ca fazer turismo???? Acho bom voce fazer um bom seguro de vida e outro melhor ainda seguro de viagem!!!!!!

Fotos: BBC

Incredible India!

Om Shanti

25 de agosto de 2007

Bombas Matam 40 em Hyderabad







Namaste

Duas bombas explodiram hoje na cidade de Hyderabad aqui na India matando pelo menos 40 pessoas e deixando 66 feridas.

Eh muito triste morar em um pais terrorista e violento como a India :(

Foto: Rediff

Incredible India!

Om Shanti

24 de agosto de 2007

Ramakrishna - Parte Final


Namaste

Continuação da biografia de Ramakrishna:

Ele retomou seu trabalho como sacerdote no templo de Kali mas logo voltou novamente a sofrer de ataques histéricos. Desta vez porem, ele recebeu ajuda divina na forma de “Gurus” (professores espiritualizados que ensinam o caminho ate Deus).

O primeiro Guru que apareceu para orientar Ramakrishna foi uma mulher brahmin praticante do culto a Shakti, cujo nome era Bhairavi. Ela veio em um barco, pelo rio Ganges e lhe ensinou o caminho tantrico e também do bhakti yoga.

Um sadhu devoto de Ramachandra lhe ensinou que: “Rama eh Deus e tudo no mundo eh permeado por Ele. Ele também eh as escrituras. Então ao ler Seu nome, eh como se estivesse lendo as escrituras”.

Este sadhu carregava consigo só um livro, onde em todas as paginas havia escrito somente as palavras ‘Om Rama’. Este era um sadhu diferente pois não carregava nenhuma imagem de deuses ou deusas hindu, só possuía este livro.

Os Vaishnavas geralmente adoram Deus na forma de Ramachandra ou Senhor Krishna. Um outro sadhu Vaishnava chegou a Dakneswar, e para ele Ramachandra era como um filho. Ele tinha consigo uma imagem em metal de Ramalala (Rama quando criança). Ramakrishna passou então a ver Deus como Ramalala.

Após algum tempo o sadhu partiu, mas deixou para Ramakrishna a imagem de metal de Ramalala.

Posteriormente, um outro sadhu chamado Totapuri, veio para o templo de Kali em Calcutá. Este sadhu seguia os ensinamentos vedicos. Ramakrishna também queria aprender este caminho para Deus mas havia um empecilho. Para seguir este caminho, ele teria que ser iniciado e tornar-se um monge; assim ele praticou a sadhana vedica em segredo ate que finalmente tornou-se monge e iniciou sua vida monástica.

Mesmo já tendo aprendido diversos caminhos para chegar a Deus, certa vez um faquir chamado Govinda foi para Calcutá e Ramakrishna também quis aprender o caminho islâmico ate Deus. O faquir ensinou-lhe e Ramakrishna praticou por 12 anos todas as formas de sadhana que havia aprendido.

Ramakrishna descobriu que todos os caminhos levam a Deus, e que Deus eh um só e o mesmo Deus para todos.

Após estes 12 anos de praticas religiosas, muitas pessoas começaram a ir ate Ramakrishna para ouvir suas estórias e ensinamentos. Jovens estudantes também começaram a freqüentar suas palestras informais, inicialmente por curiosidade e ate para debater com ele, pois todos bem sabemos como são pentelhos os aborrecentes :)

Um destes estudantes era Narendranath Datta que mais tarde veio a ser conhecido como Swami Vivekanada.

Em 1885 Ramakrishna ficou doente e foi diagnosticado com câncer de garganta. Ele faleceu no dia 16 de agosto de 1886 aos 50 anos de idade.

Naturalmente que a biografia de Ramakrishna eh muito mais rica em detalhes do que este singelo resumo que fiz aqui. Seus ensinamentos são simples, fáceis de entender e vão direto ao ponto.

Eu recomendo enfaticamente que você leia o livro Gospel of Sri Ramakrishna escrito por Mahendranath Gupta, um de seus devotos. Eu li este livro no ano de 2000 quando morava em Calcutá após ter visitado pela primeira vez a Ramakrishna Mission. Depois desta primeira visita, retornei diversas vezes lá e fui também conhecer Belur Math, o complexo do Kali templo e o Sarada Math em Dakneswar; que eh muito próximo ao ashram do meu guru.

Eu gostaria de fazer para você hoje uma revelação nunca feita antes..... mas eh segredo..... como você já sabe, eu detestei morar em Calcutá. Só mesmo sendo Madre Teresa para gostar de uma cidade como aquela,..... mas como você sabe, tudo na vida tem seu lado bom, e para mim o lado bom de Calcutá eh sua riqueza espiritual.....

Não cabe aqui neste blog contar minhas experiências pessoais, mas para você que gosta de hinduismo, yoga e dos grandes mestres da “antiga”, Calcutá eh o lugar! Ate para você que eh cristão, Calcutá eh um lugar especial graças a bondade e generosidade jamais vista de Madre Teresa e sua gigantesca obra social.

Ir para Rishikesh, Hardwar e outros lugares no pé do Himalaia eh moda hoje em dia entre os ocidentais menos informados sobre a verdadeira herança religiosa hinduista; mas se você procura algo serio de verdade e muito mais profundo, Calcutá eh o lugar!!

Ficar nos ashrams dos grandes gurus de antigamente eh uma experiência transformadora. Os ashrams são pequenas ilhas de paz no meio do tumulto da cidade que já foi capital da Índia. (época em que o governo inglês mandava lavar as ruas todos os dias com água do rio Gânga, quando este ainda não era poluído.)

Para as mulheres: O ashram Sarada Math (nome da esposa de Ramakrishna) eh restrito somente as mulheres. Eh um lugar muito gostoso e para mim, um lugar muito especial. Nele você encontra mulheres inteligentes e estudadas, medicas, engenheiras, arquitetas etc. que resolveram renunciar o mundo materialista e se dedicarem somente a busca de Deus. Um lugar com certeza inspirador para todas as mulheres que buscam o caminho espiritual e totalmente desconhecido das ocidentais que se dizem ‘espiritualizadas’ e que gostam de hinduismo ou praticam yoga. Eh triste, eh lamentável que as mulheres ocidentais não conheçam NADA sobre o Sarada Math.

Eu, quando lá estive, tive a honra de conhecer a diretora geral do ashram que me deu uma dica importante sobre meditação.

Bom, fica aqui a dica, o resto eh com você. Se te interessou, pesquise a respeito. Como disse uma amiga minha, esta na hora de parar de te dar o peixe e começar a te ensinar a pescar.

Para saber mais visite http://www.sriramakrishna.org/ (em inglês).

Incredible India! (slogan do governo indiano)

Om Shanti

23 de agosto de 2007

Ramakrishna - Parte II


Namaskar

Continuação da biografia de Ramakrishna:

Uma viuva rica de Calcutá, estava indo para a cidade sagrada de Veranasi, quando teve um sonho onde a deusa Kali lhe pediu que construísse um templo para ela e que fosse adorada diariamente. Isso aconteceu na altura de Dakneswar, e assim sendo ela construiu um templo para a deusa Kali, que foi inaugurado dia 31 de maio de 1855. O irmão mais velho de Ramakrishna foi quem realizou a cerimonia oficial de dedicação do Kali Temple.

Vendo a devoção de Ramakrishna, então com 20 anos de idade, a viuva o empregou para que todos os dias ele vestisse a imagem de Kali.

Em Dakneswar, alem do templo de Kali, ha também um templo para Govinda-Radha e 12 pequeninos templos para Shiva, na verdade eh um complexo com 14 templos de pequeno porte.

Certa vez o sacerdote hindu do templo Govinda-Radha estava carregando a imagem de Govinda, quando tropeçou e caiu. Ao cair, uma perna da imagem de Govinda quebrou. Todos os sacerdotes resolveram que a solução era jogar a imagem no rio Ganges e fazer uma nova; quando Ramakrishna foi consultado a respeito ele respondeu: “Se um familiar seu cai e quebra a perna você o joga fora ou chama o medico para consertar?” Todos entenderam a mensagem e assim a imagem foi consertada pelo próprio Ramakrishna.

Ramakrishna fixou sua idéia em poder ver a mãe Kali em pessoa. Ele meditava profundamente, chorava constantemente e quase não comia ou dormia, obcecado com a idéia de poder ver Kali pessoalmente. 3 anos se passaram assim, ate que em seu desespero ele resolveu tirar a própria vida, ele pegou a espada que havia pendurada na parede e quando ia se matar, a mãe Kali apareceu finalmente para ele. Logo em seguida ele sofreu mais um desmaio. A partir de então, Ramakrishana passou a ver Kali constantemente.

Os anciãos não gostavam do modo estranho como Ramakrishna se comportava em relação a deusa Kali. Para eles, Ramakrishna não passava de uma pessoa psicótica, com alucinações e desmaios histéricos; porem a viuva, dona do templo permitia que Ramakrisna fizesse o que bem entendesse. Assim, ele continuou com suas visões de diferentes deusas e deuses do panteão hindu.

Todos os irmãos e irmãs de Ramakrishna já haviam casado, só restava ele solteiro. Sua mãe, Chandra Devi recebeu a noticia de que Ramakrishna havia perdido o equilíbrio mental, continuava a ter alucinações e já não trabalhava mais como sacerdote do templo, passando o dia todo chamando pela mãe Kali ou por Raghubira. Ele esfregava o rosto no chão e rolava chorando a beira do rio Ganges. Ao ouvir que Ramakrishna herdara a psicose da família (o pai de Ramakrishna e inclusive Chandra Devi diziam ver deuses hindus), Chandra resolveu que já era hora de casa-lo e assim torna-lo uma pessoa mais responsável e mais centrada.

Chandra ordenou que Ramakrishna deixasse Calcutá e viesse para seu vilarejo em Kamarpukur. Como em seu vilarejo todos sabiam de seu problema mental, ninguém queria casar com ele, assim ele casou-se com uma menina de 5 anos de idade chamada Saradamani de Jayrambati, um outro vilarejo. Ramakrishna tinha então 23 anos de idade.

O casamento infantil ainda eh pratica regular em certas regiões da Índia, assim como o casamento de crianças com adultos. No seculo passado isso era absolutamente normal. Atualmente esta pratica restringe-se a populacao rural e de cidade pequenas.

Após o casamento, Ramakrishna ficou morando em Kamarpukur por 1 ano e 7 meses e depois voltou para Calcutá.

Continua amanha....

22 de agosto de 2007

Ramakrishna - Parte 1


Namaskar

O final do século 19 e inicio do século 20 viu o nascer de vários Gurus.

Nas décadas de 60, 70 e 80 essa coisa de Guru virou a maior picaretagem da historia da Índia, e por causa desses gurus picaretas você pensa ate hoje que a Índia eh um pais espiritualizado. Agora, nesta ultima década, vemos novamente o despertar de Gurus sérios, como o Sri Sri Ravi Shankar, Ram Dev, Amma e outros.

Hoje eu quero falar para você, um pouquinho sobre um desses gurus de antigamente... RAMAKRISHNA.

Eu tive o privilegio de visitar por diversas vezes a Ramakrishna Mission em Calcutá, o Kali templo em Dakneswar e o complexo Belur Math. Finalmente li o famoso Gospel de Sri Sri Ramakrishna, em ingles, em 2000.

Vou contar para você, bem resumidamente, um pouco da biografia deste ilustre Guru.

Khudiram Chattopadhyay, pai de Ramakrishna, e sua mãe, Chandra Devi, eram da casta Brahmin, ou seja, a casta mais alta que existe. Eu quero que você compreenda que ser da casta mais alta, não significa necessariamente ser os mais ricos. Ha milhares de Brahmins pobres, e esta família fazia parte dos milhares de pobres. E como todo Brahmin, eles dedicavam grande devoção a sua religião e a seus rituais.

O casal já possuía 2 filhos e 1 filha quando Ramakrishna nasceu, assim ele foi a quarta criança. Depois dele, o casal ainda teve mais uma menina.

Chandra Devi deu a luz a Ramakrishna no chão do quarto onde ficava o pilão e onde o arroz era removido da casca. Dhani, a mulher do ferreiro, atuou como parteira, e assim nasceu no dia 17 de fevereiro de 1836, Gadadhar, o nome verdadeiro de Ramakrishna.

Logo após o nascimento, o bebe sumiu, e foi encontrado dentro do forno usado para beneficiamento. Dhani, a parteira, retirou-o do forno e limpou seu corpinho todo sujo de cinzas (o forno estava desligado).

Um sobrinho de Khudiram, pai de Ramakrishna, enviou-lhe uma vaca de presente, para que a criança sempre tivesse leite para se alimentar.

Aos 5 anos de idade, Khudiram colocou Gadadhar para ser alfabetizado com um professor local. Ele tinha 2 horas de aula pela manha, e depois de um grande intervalo, mais 3 horas de aula a tarde. (Aqui cabe uma explicação. Eh que faz um calor infernal em Calcutá e ninguém agüenta sair de casa, assim, após o almoço, todos dormem).

Gadadhar, era muito irrequieto, porem tinha excelente memória. Ele não gostava de ir as aulas e matava aula diversas vezes. Certa vez ele matou aula e foi ao grande tanque onde as mulheres se banhavam. Uma das mulheres o expulsou, pois havia 2 grandes tanques, um para os homens e outro para as mulheres. Ele voltou ao tanque 3 dias seguidos e ficou escondido observando as mulheres tomando banho. Chandra Devi lhe explicou que não deveria fazer isso, pois ofendia as mulheres do vilarejo e pelo que consta ele não fez mais.

Aos 6 anos de idade Gadadhar sofreu seu primeiro desmaio enquanto observava grous brancos voando em frente a uma nuvem escura, carregada de chuva.

Aos 7 anos de idade seu pai faleceu. Aos 8 anos, ele gostava de ficar com os sadhus e ate passava cinza no corpo como os sadhus. Alguns meses mais tarde ele sofreu novo desmaio, provavelmente devido ao forte calor enquanto fazia uma romaria para Anur.

Aos 9 anos ele passou pela cerimonia do cordão sagrado que todos os brahmins masculinos devem usar pelo resto da vida. Parte desta cerimonia consiste em receber esmola de uma outra mulher brahmin, porem Ramakrishna já havia prometido a Dhani, a mulher que atuou como parteira em seu nascimento, que ela seria esta pessoa a lhe dar esmola pela primeira vez, e assim ele poderia chama-la de “mãe”. Acontece que Dhani NAO era brahmin!

Como você já pode imaginar, a família de Ramakrishna ficou chocada e não aceitava essa idéia de modo algum. Onde já se viu um garoto brahmin receber esmola (uma parte importante da cerimonia, embora somente simbólica), de uma mulher não brahmin!!!!! Resumindo, apesar de ter somente 9 anos, Ramakrishna não se deixou levar por esta divisão de casta, ele teimou e teimou ate que finalmente todos tiveram de concordar.

O garoto adorava cantar musicas religiosas, representar em pecas religiosas de teatro amador e esculpir estatuas em argila de deuses e deusas indianos.

Certa vez era Shivaratri (noite de adoração a Shiva) e o ator que representaria Shiva adoeceu, então chamaram Ramakrishna para representar em seu lugar, porem ao vestir-se como Shiva ele perdeu consciência e teve que ser carregado para casa.

Após a morte de sua cunhada (esposa do irmão mais velho) Ramakrishna aos 12 anos de idade desistiu de estudar e passou a ajudar sua mãe com os afazeres domésticos.

Certa vez, Ramakrishan se disfarçou de mulher, vestindo um sari para entrar na casa de um vizinho.

Aos 17 anos, o irmão mais velho de Ramakrishna o levou para Calcutá e passou para ele a tarefa de realizar pujas e outras cerimonias para as pessoas interessadas. Como você sabe, somente os brahmins podem realizar cerimonias religiosas hindus.

Continua amanha....

21 de agosto de 2007

Respostas

Respostas – Parte II


José: Os bramanes tiraram mais que uma casquinha da divisão de castas, eles tiraram uma casca de tamanho médio, os katrias tiraram uma cascona :)


E quem se ferrou, como sempre, foram os casta baixa (miseráveis pois nem como pobre da para classifica-los, coitados!)


Marisa: Agradeço sua oferta de abrirmos um pet shop em sociedade, mas não nasci para negócios, sou muito trouxa; seria passada pra trás pelos indianos na primeira oportunidade. Eles são muito gatunos para negócios e eu sou muito trouxa.


Nadadeordinario: Desconheço qualquer historia, mitologia e motivo para que os indianos detestem tanto os gatos. Alguém me sugeriu que talvez seja porque eles preferem os ratos e como sabemos, os gatos gostam de caçar.


Só sei que no Egito antigo os gatos eram vistos com reverencia e eram enterrados na catacumba junto aos faraós. Bons tempos aqueles para os gatinhos...


Gleice: Com certeza a globalização tem uma parcela no consumismo desenfreado indiano, mas o crescimento econômico da Índia e a perda dos valores religiosos e morais dos indianos são os maiores culpados na minha opinião. Para mim o problema não eh externo (globalização), mas sim interno (valores pessoais, sociais e religiosos).


Verônica: Leitoras, a minha querida Verônica sintetizou muito bem o lance do consumismo indiano com o seguinte comentário: “Acho que indiano sofre de muito baixa auto estima. Sabe aquela coisa de quem nunca come mel e quando come se lambuza!”


Tatiana: Ate hoje sinto falta da mãe do Tigu, minha gata preta linda!! AMO animais pretos. Cor para mim nunca foi problema, meu marido indiano eh escuro. Já que sua mãe não quer um gato preto, melhor respeitar do que ter o gato e depois ela maltratar o bicho. Arrume um gatinho cinza com muitas listras pretas ou um gato “vaquinha” aqueles brancos com manchas pretas, assim ela vai se acostumando a cor preta.


Nos humanos somos seres inferiores se comparados aos animais.


Nos preocupamos com a cor do bicho, raça, tamanho do pelo etc. Os animais nem querem saber se somos negros, brancos, pardos, altos, baixos, gordos, magros, feios, bonitos, etc. eles simplesmente nos amam do jeito que somos. Eles praticam o amor incondicional que Deus tentou nos ensinar mas ate hoje não aprendemos. Quero nascer gato na próxima vida!!! (meu conceito de evolução eh diferente da maioria. Os espiritas e teosofistas, vão me abominar hahahahahaha).


Belatrix: Os indianos valorizam o casamento não por ser um sacramento mas sim por ser um contrato de negócios; e onde tem dinheiro, tem indiano!


O outro motivo eh mais obvio; como os indianos matam as meninas e os fetos femininos, falta mulher na Índia (por isso tem tantos indianos casando com brasileiras), casar eh o único modo de ter relações sexuais garantidas!! Isso mesmo, não eh pra rir não. Enquanto a família do noivo garante um futuro tranqüilo com o dote que a família da moca tem que pagar, o noivo garante uma vagina para trepar!!! Pode ate parecer tosco para vocês, mas eh a nossa realidade aqui na Índia.


Elci: Sim, a maioria arruma cônjuge pelo jornal, eh normal.


Achei de bom tom o rapaz com HIV não cobrar dote da noiva.


Sim, aqui tem preservativo e eh legal utiliza-los, na verdade, este e o coito interrompido são os métodos anticoncepcionais mais utilizados pelos indianos para evitar a gravidez.


A Idade das pessoas que enviam anuncio para o jornal eh na faixa dos 20 anos ate os 30 pois são classe media. Os casta baixas casam-se ainda crianças ou adolescentes. Isso atualmente 2007 pois antigamente todos se casavam menores de idade ou com crianças como no caso de Gandhi e Ramakrishna.


Sim, já utilizei os pau-de-arara como meio de entrega, ate porque NAO ha outro meio de entrega aqui na Índia.


Monique: A mascara do teatro-danca Khatakali não eh horripilante para os indianos, aqui eh algo comum e tradicional.


Ibira: “Mulher sofre em qualquer canto do mundo, em menor ou maior grau, mas sofre. O gênero masculino é um gênero ignorante e idiota....” Banyan, concordo com vc 100%.


Todos os comentários em relação a “degolação” da escritora Tasmila foram excelentes, mas este do Ibira foi direto ao ponto, e pasmem leitoras queridas, o Banyan eh Homem, porem não mentecapto. Parabéns meu querido!!!


Marcelo: Anote ai o email do restaurante brasileiro na Índia, wildfire@cpgurgaon.com

Website: www.crowneplaza.com


André: (de Porto Alegre) Fiquei feliz com sua participação. Parabens por ter deixado de ser chupim :)


Marisa, Rose e Pedro: O objetivo do Indiagestao eh somente transmitir noticias e fatos sobre a dura realidade indiana do modo mais verdadeiro possível, sem mascara alguma e sem usar sofismas. Me esforço ao máximo para que o Indiagestao seja o blog mais pé no chão da Internet e por isso mesmo o volume de leitores aumenta a cada dia. Debates e polemicas não fazem parte da proposta deste blog.


Eu sei muito bem que o volume de noticias e informações eh grande e para algumas pessoas eh ate brutal e não da tempo de digeri-las, por isso mesmo o blog chama-se Indi(a)gestao.


O Indi(a)gestao eh como a Índia, intenso, superpovoado (de informações e noticias), indigesto, onde sempre ha algo novo para se ver e aprender. Só quem já veio a Índia consegue ter a dimensão do que estou dizendo. O Indi(a)gestao eh na verdade, um pedacinho da Índia.


Aqui as noticias não param, todos os dias são centenas de coisas acontecendo, na verdade nem tem como parar. Como diminuir o ritmo de um pais com mais de 1 bilhão de habitantes???


Ler o Indi(a)gestao eh fundamental para todos que estão planejando vir a Índia. Somente este blog fornece em escala muito reduzida a loucura que eh viver neste pais superpovoado. Aqui não temos tempo de absorver uma noticia e já estamos sendo bombardeados por dezenas de outras. O que eu passo no blog eh somente 0.1% de tudo que acontece aqui. O Indi(a)gestao eh intenso pois assim eh a Índia. A Incredible Índia!


Rose: As duas vezes que fui atacada por vacas eu estava tão apavorada que não prestei atenção se elas tem dentes superiores. Alias, já tomei também respingo de urina de vaca e em Jaipur já tive ate que empurrar uma pela bunda. Minhas experiências com as vacas (animal) não são das mais agradáveis; mas para 8 anos e meio de Índia, esta bom demais, afinal nem de leite eu gosto. Hahahahahahaha


Om Shanti

18 de agosto de 2007

Mehendi


Namaste Elci,

Aqui esta para vc uma foto muito boa de Mehendi que a Veronica me mandou.

Bom fim de semana!

Om Shanti